Como cuidar de gatos:
7 dicas para lidar com os gatinhos e ter
uma adaptação tranquila

Ilustração como cuidar filhotes de gatos

Adotar gatos é uma experiência muito prazerosa. Os gatos são personagens únicos na vida de qualquer pessoa, capazes de trazer muita alegria para os lares. Eles são cheios de personalidade e os melhores companheiros que você vai ter.
Apesar de serem bastante independentes, é preciso tomar os cuidados adequados, fazendo de tudo para que se sintam o mais confortável possível e assim ter uma ótima relação com você. Principalmente se forem filhotes sendo adotados depois dos primeiros 45 dias de vida, a atenção tem que ser redobrada, porque eles estão em uma fase delicada de desmame e afastamento da mãe.
A recepção no novo lar deve ser a melhor possível, e para ajudar os tutores de primeira viagem ou mesmo aqueles que já adotaram mas ainda possuem algumas dúvidas, separamos 7 dicas essenciais para você tirar de letra sua jornada maravilhosa com os felinos!

1. alimente com a ração correta

Se o gatinho ou gatinha for filhote, tome cuidados especiais com a alimentação deles. Eles acabaram de sair do desmame e ainda estão se acostumando a comer ração seca. Então escolha uma ração de qualidade (premium ou superpremium) específica para o primeiro ano de vida do animal. Esse tipo de ração irá suprir suas necessidades nutricionais da fase de crescimento, sendo rica em vitaminas e proteínas.
Já para gatos adultos, escolha sempre uma ração específica de acordo com suas características, por exemplo: castrado, idoso, obeso, entre outros. Um dos principais problemas desses animais é a obesidade, por isso a ração tem que ser de boa qualidade e oferecida em pequenas porções diversas vezes ao dia, respeitando o limite informado na embalagem ou recomendado pelo veterinário.
Evite deixar a ração exposta durante todo o dia para não perder a crocância e o aroma. Lembre-se também de colocar um potinho com bastante água e procure trocá-la duas vezes ao dia para que fique sempre fresquinha.

2. escolha uma caminha

É importante que o gato tenha sua própria caminha, por isso providencie uma para ele. Existem várias opções em petshops, mas não há a necessidade de comprar. Você pode separar uma almofada específica para isso ou uma coberta bem quentinha, e deixar em um canto reservado. Outra opção é usar uma caixa de papelão com uma toalha ou almofada dentro, que já será suficiente para deixar seu animal feliz.

Imagem de gato dormindo - como cuidar de gatos em apartamentos ou casa.

No começo, os filhotes podem estranhar a adaptação ao novo ambiente e chorar bastante, mas com um cantinho confortável e bastante carinho, logo ele estará saltitando por aí, já se sentindo dono da casa.

3. providencie uma caixinha de areia

Uma grande vantagem dos gatos é que eles são bem higiênicos. A caixinha de areia vai ser o banheiro do seu gato, e ela deve estar sempre limpa. A sujeira fará com que o animal evite o local e isso que pode causar problemas de saúde. Por isso, troque a areia sempre que preciso.

Imagem de filhote de gato brincando - como cuidar de gato recém nascido.

Você encontra areia sanitária em supermercados e pet shops. Geralmente, os gatos aprendem sozinhos a usar a caixa de areia, de forma intuitiva. Além disso, eles sempre escondem a urina e as fezes, por conta de um instinto para não deixar rastros e atrair predadores.
Lembrando que, por os gatos serem bastante higiênicos, geralmente não há necessidade de dar banhos, a não ser que estejam com algum problema de pele ou tenha sido recomendado por um veterinário.
Se o gatinho não estiver obedecendo, nunca bata nele. Borrife água no animal como forma de correção, e indique a atitude correta se for o caso.

4. reserve um tempo para brincadeiras

Na hora de brincar, tenha em mente que cães e gatos possuem comportamentos muito diferentes. Apesar de alguns felinos não gostarem de brincar, a maioria adora, porque além de ser um entretenimento, é uma forma de gastar energia e estreitar laços com os donos, fazendo com que se sintam amados.
Existem muitas opções de brinquedos nos pet shops, mas os preferidos dos gatos são fitinhas, bolinhas de papel e caixas de papelão. Uma ótima ideia é providenciar também um arranhador, isso irá distrair o gato e evitar que ele se aventure nos móveis da casa.

como cuidar da segurança de gatos.

Novelos de lã e linhas não são recomendados para brincar com gatos, porque eles podem engolir e ter problemas de saúde.

5. cuidado com janelas e portões

Antes de adotar seu gatinho, certifique-se que as janelas de sua casa estão teladas e que não há acesso à rua. Esses cuidados são muito importantes, porque embora os felinos sejam hábeis e espertos, eles também possuem seus momentos de distração. Inclusive, é muito comum gatos caírem de janelas do apartamentos, resultando em sérios ferimentos e mortes.

Imagem de gatinho filhote brincando com lã - como alimentar filhote de gato.

Com as telas e o bloqueio à rua, você também impede que o gato fuja, cruze com outros animais ou contraia doenças.

6. agende uma castração

A castração é uma das etapas mais importantes para a qualidade de vida do seu gato. O procedimento é rápido e simples, com riscos quase nulos.
O procedimento traz muitos benefícios, tais como: evita um possível abandono, já que as gatas podem gerar até 12 filhotes; faz com que o animal fique mais caseiro, diminuindo as chances de ele querer ir para rua e acabar se machucando, se perdendo ou contraindo doenças; acalma o animal, uma vez que o período de cio é bastante estressante; previne certos tipos de tumores; evita que as fêmeas desenvolvam periometra, uma infecção no útero que pode matar; entre outros.
A castração pode e deve ser feita ainda na fase filhote, sendo fundamental para prolongar a vida e preservar a saúde do animal. O pós-operatório costuma ser tranquilo, precisa haver apenas o cuidado de usar roupa cirúrgica e evitar que o gato puxe os pontos.

7. Lembre-se da vacina e da vermifugação

É essencial ficar atento à vermifugação e vacinação dos gatos. A vacina deve ser realizada a partir dos 45 dias de vida, sendo a quádrupla (V4), que previne contra clamidose, calcivirose, panleucopenia felina e rinotraqueite. A vacina antirrábica pode ser aplicada a partir do quinto mês de idade.
Para os filhotes, a vacinação deve ser feita em dose tripla, com espaço de um mês entre cada uma. Gatos adultos devem ser vacinados anualmente.
Já a vermifugação deve ser feita quando o animal completa 15 dias de vida, tendo que repetir a operação mensalmente até completar os seis primeiros meses. Na fase adulta, devem ser sempre vermifugados de quatro em quatro meses. Procure um veterinário para conversar sobre todas as aplicações necessárias, fazer uma carteirinha de vacinação e realizar os procedimentos.
Atente-se sempre ao comportamento do gatinho, observando seu apetite, urina e fezes; caso note alguma alteração, leve ao veterinário para examinar melhor.

Tudo certo para cuidar do seu novo amigo?

Seguindo essas dicas, seu gatinho ou gatinha ficará muito feliz em seu novo ambiente e, sem dúvidas, você também! Esperamos que tenham gostado e que tenha sido útil. Ter gatos é apaixonante, e até quem não é muito fã acaba se encantando depois de passar um tempo com eles. No começo pode parecer um pouco desafiador, mas logo você se acostuma e os cuidados se tornam um hábito diário e prazeroso!